.

.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

7º Encontro Regional de Trabalhadores EAA



O Seaac de Americana e Região promoveu no dia 21 de setembro o 7º Encontro Regional da Categoria, desenvolvendo o tema “Trabalho decente é nosso direito”, que tratou especificamente de “Igualdade de Oportunidades”. Nesta ocasião a senhora Gláucia Fraccaro, coordenadora de Ações e Políticas para o Trabalho da Secretária de Políticas para as Mulheres da Presidência da República - SPM, conversou com os trabalhadores e trabalhadoras da categoria.

A presidenta do Sindicato Helena Ribeiro da Silva iniciou o evento convidando os dirigentes sindicais para compor a mesa. O senhor Artur José Ap. Bordin, representante do Seaac de Sorocaba, falou sobre a estrutura dos Encontros Regionais que culminarão no debate do Encontro Estadual, relatando sobre o evento de Sorocaba e a relevância de tratar questões relacionadas à igualdade de oportunidades e a questões de gênero. Os advogados da entidade Dr. Alberto e Dr. Marcos destacaram a importância desta discussão para a agenda do trabalho decente, considerando que é um tema que trouxe muitas atualizações para a legislação.

Governo estuda flexibilizar CLT, sindicalistas criticam


Sindicalistas veem com ceticismo a possibilidade de o governo flexibilizar as leis trabalhistas brasileiras, em vigor desde 1969. O governo analisa um projeto inspirado no modelo alemão, pelo qual empregados e patrões poderiam fechar acordos com normas diferentes das da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).
Um grupo formado por representantes de centrais sindicais e do Planalto já partiu rumo à Alemanha para estudar os arranjos feitos por lá. A grande questão, segundo os sindicalistas, é que o padrão estudado pelo governo pode se encaixar para o setor automotivo, mas não é viável para o restante dos trabalhadores do país.

Mulheres no topo do desemprego


As mulheres foram maioria entre os desempregados no País em 2011. É o que mostrou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em sua Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) daquele ano. Segundo o instituto, em 2011, do total de desempregados (6,7 milhões), mais da metade (59%) eram mulheres.

A informação consta de perfil dos desempregados no País em 2011, traçado pelo IBGE. Isso, na prática, permitiria tentar entender as razões pelas quais, apesar de queda expressiva no número de desempregados no Brasil, ainda persistem altos níveis de desemprego em nichos específicos, salientou o instituto.

O perfil elaborado pelo IBGE contém outras informações. Do total de desempregados em 2011, 35,1% nunca tinham trabalhado; 33,9% eram jovens entre 18 e 24 anos; 57,6% eram pretos ou pardos; e 53,6% não tinham completado ensino médio.
Fonte: Jornal Valor
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...