Um feliz Natal para você

Um feliz Natal para você

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

ACTs garantem 4% de aumento retroativo a agosto em empresas de Piracicaba e Rio das Pedras

O SEAAC de Americana e Região fechou Acordos Coletivos de Trabalho (ACTs) com mais duas empresas, a Angeleli Assessoria Contábil Eirele, de Rio das Pedras, e com a Associação Piracicabana das Empresas de Auto Ônibus, de Piracicaba. As duas empresas tem data-base em 1º de agosto e o Acordo Coletivo foi idêntico no que se refere às cláusulas econômicas. Assim, os trabalhadores destas empresas terão reajuste salarial de 4%, retroativo a data-base e piso salarial de R$ 1.265,00 para office-boy, recepcionista, faxineira, porteiro, copeiro e atendente de negócios e, R$ 1.350,00 para as demais funções. 

Compõe, ainda, o Acordo Coletivo benefícios como adicional de permanência de R$ 60,40 por triênio na empresa; gratificação por aposentadoria de 150% do último salário após 8 anos de trabalho; reembolso creche de R$ 322,40 por filho até 18 meses, a contar da volta da mãe ao trabalho após a licença maternidade; auxílio refeição de R$ 20,00 em tíquetes em quantidade idêntica aos dias trabalhados e homologações obrigatoriamente na sede ou sub sedes do Sindicato. As diferenças de salário ou benefícios retroagem ao dia 1º de agosto, devendo ser pagas obrigatoriamente até o último dia de novembro. 

Luciano Domiciano (Assessoria de Imprensa, 14 de novembro de 2018)

INSS pode perder 20% dos peritos em 2019

foto: Ag Br
Agendar uma perícia no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) pode ficar ainda mais difícil no ano que vem. O exame médico, que é necessário na concessão de benefícios como o auxílio-doença e a aposentadoria por invalidez, poderá ficar comprometido com a possibilidade de que 20% dos peritos do órgão se aposentem. 

Hoje, dos cerca de 3.800 médicos, 760 devem atingir as condições de se aposentar a partir de janeiro de 2019. 

Os peritos são os principais responsáveis pelo pente-fino que o INSS está passando nos benefícios por incapacidade. Desde que começou, em agosto de 2016, os exames em benefícios que não passam por perícia há mais de dois anos cortaram 359.553 auxílios-doença e 192.571 aposentadorias por invalidez. 

Ao todo, foram realizadas 1.124.789 perícias no período. Em média, oito a cada dez auxílios são cortados. No caso das aposentadorias, de cada dez, três deixam de ser pagas. 

O quadro de falta de profissionais foi confirmado por fontes ligadas aos peritos e aos servidores administrativos do INSS, mas nenhum órgão quis comentar o assunto. 

A ANMP (Associação Nacional dos Médicos Peritos) não atendeu. O MDS (Ministério do Desenvolvimento Social), responsável pelos benefícios assistenciais e pelo pente-fino, não se posicionou até a tarde desta sexta, assim como o INSS. 

No caso do instituto, a partir de janeiro, cerca de 14 mil dos 32 mil servidores terão condições de se aposentar, o que dá 43,7% do quadro.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...